top of page

Surto de rotavírus em Belém: Tudo que você precisa saber sobre a doença.

Com a chegada das chuvas, aumenta a preocupação com a proliferação de doenças, e entre elas está o rotavírus. Recentemente, diversos postos de saúde na capital paraense registram um aumento no número de casos relacionados a essa infecção viral, que se caracteriza por sintomas como diarreia, vômito e febre.



O rotavírus é uma das principais causas de problemas gastrointestinais e o grande responsável pela DDA, doença diarreica aguda. Sua transmissão ocorre através do contato direto com pessoas infectadas ou pelo consumo de água, ou alimentos contaminados. O período de incubação é em média de 2 dias, já a transmissão do vírus atinge o seu pico máximo entre o 3º e 4º dia após o aparecimento dos primeiros sintomas da infecção.


Apesar dos sintomas clássicos serem vômito e diarreia, principalmente na faixa etária de 6 meses a 2 anos, a doença pode atingir qualquer idade e também pode ocasionar quadros agudos, como desidratação, febre alta, queda da pressão arterial e perda de peso.


O tratamento do rotavírus envolve a reposição de líquidos e minerais para prevenir ou corrigir a desidratação, buscando o equilíbrio nutricional adequado de cada pessoa. Caso os sintomas persistam, é importante consultar um médico para avaliar a gravidade e a necessidade do uso de medicamentos.


Uma das principais formas de prevenir a doença é a imunização com a vacina para o rotavírus humano. Conforme o Ministério da Saúde, esquema vacinal é duas doses por via oral, sendo a primeira aos 2 meses e a segunda dose aos 4 meses com intervalo mínimo de 30 dias. Além da vacina, é recomendado práticas de higiene e consumo adequado de alimentos, como:


  • Lavar sempre as mãos antes e depois de: utilizar o banheiro, trocar fraldas, manipular/preparar os alimentos, amamentar, tocar em animais;

  • Lavar e desinfetar as superfícies, utensílios e equipamentos usados na preparação de alimentos;

  • Proteger os alimentos e as áreas da cozinha contra insetos, animais de estimação e outros animais (guardar os alimentos em recipientes fechados);

  • Guardar a água tratada em vasilhas limpas e de boca estreita para evitar a recontaminação;

  • Não utilizar água de riachos, rios ou poços contaminados;

  • Manter a tampa do lixo sempre fechada, quando não houver coleta de lixo;

  • Usar sempre a privada, mas se isso não for possível, enterrar as fezes sempre longe dos cursos de água.


Em caso de sintomas da doença, realize o teste para a detecção do Rotavírus no LabLíder por apenas R$ 34,90. Compartilhe a matéria em suas redes sociais e incentive outras pessoas a se protegerem contra o rotavírus e a manterem sua saúde e bem-estar em dia.


Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page